MARÇO AMARELO

Uma Compilação de postagens. E a verdadeira história da vida real destas mulheres vai começar, relatando histórias de Endometriose Infertilidade e Dor Crônica. Vitórias, conquistas e lutas.#juntasnumasovoz #juntasnumasovoz

sexta-feira, 11 de julho de 2014

ENDOMETRIOSE X ENDOMETRIOSE PROFUNDA


O endométrio é a camada interna do útero que, mensalmente, se renova por meio da menstruação.



Quando o endométrio localiza-se fora da região uterina caracteriza-se uma doença chamada endometriose que acomete, principalmente, mulheres em idade reprodutiva.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?




Um dos principais sintomas dessa doença é a dor intensa, e uma das principais causas de infertilidade feminina. “Há uma estimativa de que a endometriose atinge 15% de jovens em idade fértil, sendo entre sete e 10 milhões de pacientes com este diagnóstico no Brasil”, comenta o ginecologista Joji Ueno (CRM 48.486), Doutor em medicina pela Faculdade de Medicina da USP e responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês e Diretor na Clínica Gera.

COMO IDENTIFICAR O TIPO DE ENDOMETRIOSE?

Identificar o tipo de endometriose é um passo importante para direcionar o tratamento que, pode atenuar o problema. Entre os principais sintomas da doença destacam-se cólica menstrual e dor durante a relação sexual, dor e sangramento intestinais e urinários durante a menstruação e infertilidade.

De acordo com Ueno, a endometriose profunda é a forma mais avançada da doença, provocando dor mais intensa durante o período menstrual, na relação sexual e até mesmo fora da menstruação. “Cólica menstrual intensa, fluxo menstrual abundante, dor durante a relação sexual, intensa dor pélvica, dificuldade em urinar, dor no fundo das costas, sangramento anal no período menstrual e dificuldade em engravidar podem denunciar um diagnóstico positivo de endometriose profunda”, alerta o especialista.

COMO DETECTAR A DOENÇA?

Exames como: laparoscopia e ultrassonografia transvaginal também ajudam a detectar a doença, embora não seja garantido conseguir observar as alterações do tecido e, seja necessária a realização de um exame mais minucioso como a ressonância magnética pélvica. “Após a confirmação, é importante avaliar se a paciente deseja engravidar, além de estabelecer o local e a forma da doença para definir um tratamento mais personalizado”, confirma o médico.

As pacientes mais jovens podem apostar em medicamentos para suspender a menstruação. No entanto, lesões maiores costumam receber indicação cirúrgica. “Cada caso, tem de ser analisado individualmente e a paciente deve acompanhar continuamente a situação, pois a doença pode retornar”, avisa Ueno. Para suspender a menstruação basta apostar em medicação hormonal de forma contínua, por meio de anticoncepcionais orais, injetáveis, transdérmico, implantes ou o DIU. “Esse bloqueio pode ser suspenso quando a paciente desejar engravidar e, mais uma vez, será preciso um acompanhamento médico para que a fertilização aconteça de forma segura e eficaz”, confirma o ginecologista.

Sobre a Fonte:

Ginecologista Joji Ueno (CRM 48.486), Doutor em medicina pela Faculdade de Medicina da USP e responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês e Diretor na Clínica Gera.
http://www.segs.com.br/so-saude-segs/165134--saiba-a-diferenca-entre-endometriose-x-endometriose-profunda.html

Ajudando a Salvar Vidas: Assinando a petição em favor de nossa Mulheres
Passe e repasse para todos os seus amigos. 
Click aqui 
 assine

Portadora de endometriose e Infertilidade façam seu cadastro.
 Cadastro de Portadoras de Endometriose


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para nós. Participe.