sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Endometriose , conscientização para os médicos


Dor pélvica em mulheres banalizada

Banalização da dor pélvica da mulher poderia ser devastador, diz o autor de um novo relatório.
Gynaecologist Susan Evans diz que a questão das mulheres foi muitas vezes ignorado, levando a atrasos no diagnóstico de doenças graves.

"É uma dor que os homens não conseguem, ou não gosto particularmente de ouvir sobre isso ... é tão fácil para normalizar a sua dor e dizer que não pode ser tão ruim", disse o Dr. Evans AAP no domingo.
O relatório, escrito em conjunto com o sem fins lucrativos de saúde grupo de lobby Dor Austrália, descobriu que a falta de conscientização da comunidade significava que as mulheres podem estar sofrendo em silêncio.
http://magazineacalentar.com/livraria.html
Amazom.com
Livraria Cultura
Biblioteca24horas

Condições, tais como endometriose do útero desordem, complicações de parto, do intestino irritável ou síndrome da bexiga pode ir undiagnosed ou maltratados.
O resultado, relações sexuais dolorosas e períodos de erosão da capacidade da mulher para participar na vida escolar, trabalho e família e levar a problemas de fertilidade.
"Como você pode ver, toda a condição pode ser totalmente devastadora para as mulheres que são afetados", disse o Dr. Evans.
Dor pélvica pode começar tão cedo quanto do ensino médio, com um dos estudos do relatório caso, uma mulher de 23 anos de idade, com queixa de dor tão cedo quanto 10 anos de idade.
Levou a mulher mais de 11 anos e mais de 100 consultas para diagnosticar a endometriose.
Outras mulheres pode não ser tão persistente, com membros da família descartando a dor.
"Com o tempo que realmente come a sua confiança e ela começa a duvidar de si mesma," o Dr. Evans disse.
, ela disse.
"Ele requer um repensar de todo o espectro da experiência das mulheres", disse o Dr. Evans.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Endometriose dá muito dinheiro????????

Vamos tirar o chapéu para Caroline Salazar.
Antes de reproduzir aqui sua matéria que é digna de ser multiplicada, venho questionar alguns pontos.
A endometriose existe desde a época de Cristo, a Bíblia relata a mulher do fluxo de sangue, que foi curada por Jesus após 12 longos e sofridos anos. Mas hoje na matéria de Caroline Salazar esta guerreira que vem travando uma luta ferrenha com a dita cuja endometriose. Corajosa e destemida fala sobre o assunto abertamente. Ela relata na matéria a seguir que em 1872 o médico ginecologista Robert Battey,extraiu os ovários de uma jovem, o que fez com que os sintomas desaparecessem.Em 1995, minha irmã mais nova também com endometriose passou por uma cirurgia e no caso dela, com um agravante de sifílis, os médicos tiraram os ovários. O que acabou sendo uma grande benção na vida dela, pois ela ficou curada. O que faz com que estes médicos teimem em não fazer o que é muito simples de se comprovar?, será que o dinheiro que se ganha com a mais cruel de todas as doenças (Que em 30% dos casos ficam incapacitadas devido comportamento malígno) alimenta uma grande fatia do mercado de medicamentos,laborátorios, médicos, pesquisas e toda uma estrutura comercial por trás disto?, Por favor vamos pensar nisto.
Será que a Endometriose não tem cura? será?


Vejam a matéria da Carol. E votem no blog http://aendometrioseeeu.blogspot.com/
Vamos juntar nossas vozes. Concordo que tanto eu como milhares de mulheres se veem representadas nesta matéria.

A endo é uma doença antiga!!! Ela existe desde 1872 
Hoje quando entrei no blog vi postagem muito interessante das nossas queridas endomulheres de Portugal. E quero compartilhá-la com vocês. Infelizmente, nem todos os blogs sobre o assunto é íntegro, nem todos fazem com o coração. Mas o MulherEndo, das nossas irmãs portuguesas, é ótimo. O blog é feito por um grupo de mulheres portadoras da doença de lá. Apesar do pouco conhecimento sobre a endo, a doença já é considerada a da mulher moderna. Ainda sabemos que isso se deve ao fato de nos dias atuais a mulher querer trabalhar cada vez mais e postergando a gravidez. Porém, outro fator muito importante já descoberto pelos cientistas é que a endo é uma doença genética e que circula pela corrente sanguínea. Isso significa que, se alguém tem alguma portadora da doença na família, o risco de uma mulher da mesma família ter a doença é muito grande. Isso foi falado, inclusive, numa matéria em que participei do jornal“Metronews”, e também na “Folha Metropolitana”. Mulheres que têm parentesco de primeiro grau têm sete vezes mais chance de desenvolver a doença. Quando falamos doença da mulher moderna pensamos em algo que existe há pouco tempo, não. Pois é, mas quando se trata da endo, tudo pode nos enganar. Fala-se que a endo existe desde 1920. 

Na verdade, acho que essa data tem a ver com os primeiros diagnósticos. Mas vendo as atualizações dos blogs que sigo, achei interessante o post do Endomulher de Portugal. Ao que tudo indica a endo já existe desde o século XIX. Ou seja, há quase dois séculos, há quase 150 anos. E ainda as pessoas não estão nem aí para a doença só porque a mulher não vai morrer por conta dela. Ah, eu acho muita ignorância de nossos governantes rejeitarem e não darem atenção a uma doença tão séria e tão grave como esta. A endo, infelizmente, destrói a mulher como um todo e em todos os âmbitos de sua vida. Enquanto Susana Guerreiro esperava por uma consulta, ela viu uma reportagem muito importante, e para nós portadoras, muito comum na “Super Interessante”, de julho de 2010. Segue abaixo a postagem para que refletirmos um pouco mais sobre a doença. Porque será que na Europa, ela já é uma doença social? E isso já foi falado aqui no blog.

Segue a reprodução do texto de Susana Guerreiro.

Sentada na sala de espera, a aguardar por mais uma sessão de acupuntura, pego na revista Super Interessante. Vi a data, Julho de 2010, começo a folheá-la. Na página 54 leio, “A Cura Fatal – Apoiados numa suposta autoridade intelectual, os médicos aplicaram, durante centenas de anos, todo o gênero de tratamentos dolorosos ou ineficazes, sem nunca se questionarem.”

Interessei-me e comecei a ler, a certa altura, li o que passo a transcrever:

“Solução radical e versátil – Esta prática segue a tendência inaugurada, no último quartel do século XIX, pelo ginecologista Robert Battey. Após extrair de um ovário um quisto de sete quilos, Battey começou a congeminar uma estratégia para extirpar os próprios ovários como terapia polivalente. Em 1872, uma jovem procurou-o com queixas de que, durante a menstruação, sofria convulsões que quase a faziam entrar num estado comatoso. Além disso, tinha hemorragias em diversas partes do corpo e sentia tais dores que, na ânsia de procurar alguma espécie de alívio, se viciara em morfina. Battey extraiu-lhe os ovários e os sintomas desapareceram.”

Para mim, e provavelmente, para muitas mulheres portadoras de Endometriose, é impossível ler isto e ficar indiferente, ela tinha Endometriose… Mas estávamos no ano de 1872.

Em 2011, o que mudou? Bem, muita coisa mudou, mas não o suficiente, pois, segundo uma tomada de decisão do Parlamento Europeu em Abril de 2004, “O mais relevante desta declaração, é o reconhecimento da pouca sensibilização do grande público e dos médicos para reconhecerem os sintomas e diagnosticarem a doença. O que leva a um atraso substancial no seu diagnóstico. Estima-se em aproximadamente oito anos o tempo que medeia entre os sintomas e o diagnóstico”.
E o que vocês têm a dizer? Na verdade, em Portugal as portadoras de endo já têm um pouco a comemorar. Pelo menos lá, na Europa, a endo é uma doença reconhecida pelo governo. E reconhecido que eu digo não é apenas fornecer remédios. É o governo ajudar com dinheiro, ou com uma aposentadoria, sei lá, àquelas que não têm condições de trabalhar. Eu conheço algumas que não conseguem se levantar da cama. E nós no Brasil? O que conseguimos? Nada! Do que adianta termos ótimos cientistas que estão em busca da cura (e é bem provável que o Brasil possa conseguir essa façanha) se o governo desconhece a doença que atinge 10 milhões de brasileiras? Cadê o governo da primeira presidente em prol da mulheres? Mulheres prestem atenção em quem irão votar nas próximas eleições. Os anos passam rápido!!



ATENÇÃO:
SEGUNDA EDIÇÃO DO LIVRO: Para todas as portadoras, principalmente para que suas famílias e amigos possam ver como e o quanto você é forte, e como é sério, grave e constrangedor ter uma doença que não tem cura, com comportamento malígno  que se arrasta por anos a fio, corroendo a tudo e a todos, e faz com que você viva num verdadeiro purgatório.





A fé, o maior e mais forte tratamento para se conviver com endometriose. A prova que Deus se faz presente e zela por nós nos mínimos detalhes. O verdadeiro dono de sua vida. 
Fundamental para cristãos, sua fé está abalada?
Leia este livro.


Editora Biblioteca
Livraria Cultura
Magazine Acalentar


Um ótimo presente para portadoras, familiares e amigos.


Em breve Amazon.com
Peça já o seu.


Para quem quer ser um vencedor
Para você que tem saúde, conheça as armas para vencer, e verá que você tem todas e pode tudo. Indique.











terça-feira, 17 de maio de 2011

O Sequestro de Uma Vida

Tarde de autógrafos dia 06/05/2011.
Câmara Municipal De Itaquaquecetuba. São Paulo - SP
Foi uma festa, contamos com a presença de autoridades, como o vereador Doni (Donizete)
Vereador Mario Charutinho, Presidente da associação Comercial de Itaquá Sr. Luciano D'avila, Presidente da Associação Comercial de Suzano Sra. Eliana Oliveira, Ana a Naninha , Terezinha, muitas portadoras e cidadãos de Itaquaquecetuba. 
Agradeço a atenção e o carinho de todos.


Maria Helena Nogueira.






Peça já seu livro
O livro O Sequestro de Uma vida esta na livraria cultura em todo o Brasil
Visitem; http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=22515470&sid=20181655913320505223130653
Outros Pontos de venda.
www.magazineacalentar.com
www.biblioteca24horas.com.br


Palestras para Igrejas,Empresas, Escolas, Faculdades, Prefeituras, Orgãos governamentais.
Endometriose , Dor crônica.
55-11-2387-5125. www.acalentar.com

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Endometriose e Dor crônica psicológica

Começo este post dizendo, psicológica é a mãe.
Estou indignada. Eu ja passei e passo, mas quando vejo que muitas outras mulheres estão passando isto me choca e me deixa revoltada. Algumas vezes em consulta fui insultada gravemente, devido ao estado que me encontrava. Por muitas vezes fui com cadeira de rodas e maca devido a dor absurda que estava sentindo, fui alvo de chacotas e risos irônicos, além disto tive que ouvir alguns conselhos do tipo, olha tem uma mulher que usa próteses nas duas pernas, muletas, sabe que vai morrer e levanta de manhã faz as coisas em casa, leva os filhos na escola com carro, tem uma vida normal. Nossa! foi a mesma coisa que me enviar uma faca no peito.
www.magazineacalentar.com
Endometriose, dor crônica
Outros do tipo ela esta querendo colo, ou você quer chamar a atenção. Gente sabe aqueles dias de fúria, que as pessoas tem, é assim que me sinto quando saio de algumas consultas, por muitas vezes quis me jogar do prédio, ou jogar uma bomba. È revoltante você estar curtindo tanta dor, e um profissional que deveria te ajudar faz este tipo de julgamento. Até mesmo porque sabemos que o perfil da portadora de endometriose é ser forte e dinâmica, são mulheres que gostam sim de chamar atenção de uma maneira saúdavel, vivendo com dignidade, trabalhando, dançando, passeando, dirigindo, amando. Quando acontece totalmente o contrario, são mulheres sofridas porem muito fortes, que aguentam dores terríveis na maioria do tempo, sua vida é completamente podada, esta mulher no mínimo perde dias do mês., uma grande parte perde anos lutando para viver com dignidade, no entanto quando vai procurar um profissional para ajudar ouve coisas do tipo isto é psicológico, esta dor esta na sua cabeça. Você tem que esquecer a doença um pouco. Jesusss, estes profissionais não entendem de gente, e não servem nem como veterinários. É impossível, que ainda hoje depois de tanto estudo sobre a endometriose, ainda haja tanto desconhecimento. 
Admiro muito o Ouvidor Dr. Elmo Cardim que com toda humildade quando viu o meu caso que disse o seguinte; Nós médicos nos sentimos frustrados quando vemos uma situação desta, nos sentimos impotentes,
tudo que o homem pode fazer, ele esta fazendo. Infelizmente não conhecemos a cura.Conte conosco para o que precisar. 
Isto sim, você sai dali de cabeça erguida e mais do que nunca respeitando o profissional, pois ele respeitou você. Tratou você como um ser inteligente e racional..
Minha amiga Liz, vamos chama-la assim, me ligou esta semana e infelizmente tentou até cortar os pulsos depois de passar por um destes homens fantasiados de médicos.
Além de todo seu sofrimento, de tudo que vem passando, vendo sua vida escorrer pelo vão dos dedos em todas as áreas, principalmente conjugal, na procura por socorro de suas dores, encontrou um homem vestido de médico que se diz especialista em endometriose, e simplesmente a tratou como uma louca, destas que inventam doenças, que querem chamar a atenção. Gente, antes de qualquer coisa, tudo é provado, a causa existe, e mesmo que não existisse, é um ser humano buscando ajuda. 
Infelizmente há muitos casos, casos de mulheres que estão trancadas em suas casas, vivendo no inferno em vida, e tem medo de ir nestes assassinos de alma.
Os profissionais de medicina que se intitulam médicos especialistas e se escondem de suas incompetências, frustações e incapacidade, jogando para as pacientes todos os seus medos e frustrações. Quando não conhecem ou não dominam certas doenças.Nós vamos em médicos e sabemos disso, não vamos em deuses.
Mulheres mais uma vez venho pedir, precisamos nos unir, não podemos permitir que estas coisas continuem acontecendo. Nós não ficamos sabendo de todos os tratamentos, de muitas que desistiram de viver por não encontrar apoio, ou pior encontraram um destes assassinos de alma. 
Vamos nos unir mulheres, nós precisamos umas das outras, não podemos nos demorar, temos que lutar urgente por leis que nos protejam neste sentido, e em outros meios de proteção, como previdência social e tudo o mais. Gente se puderem sigam o blog, é importante, nós precisamos vencer cada um dos obstáculos,
e só unidas conseguiremos isto.Não passem por aqui sómente, siga, precisamos de você.
Obs; No meu caso as causas apareceram e os médicos ficaram com cara de ?????, mas infelizmente um dos resultados foi até tarde demais, mas vou postar depois. Primeiro vou abrir o processo e esfregar na cara do médico, queria esfregar no nariz até sair sangue. Quem sabe faço melhor. Orem para que eu tenha este tempo, estou na graça de Jesus. Graças a Deus temos este Pai maravilhoso.JESUS. Senão já não estariamos mais aqui.
A depressão é por causa da dor e incapacidade, não o contrário. Entendam isto de uma vez por todas.
Cada nulher é única. Portanto não generalizem.


Palestras 11 23875225 Tratar com Lia.

domingo, 27 de março de 2011

Autografo Palestras Testemunho


Eventos

Autógrafos,Palestras, Testemunhos
Tarde de Autógrafos
06/05/11 Camara Municipal De Itaquaquecetuba.
14;00 ás 19;00 Av. Emancipação 125 Centro Itaquaquecetuba-SP

Noite de Autógrafos
30/04/11 Primeira Igreja Unida, Pr. Irineu M. De Carvalho, Pr.a Rosineide M. S. Carvalho.19;00 ás 22;00    Rua Alvorada,149 Jd. Luciana Itaquaquecetuba-SP.

21/04/11 Sorteio do Kit Beleza em Magazineacalentar.com/ganhe-premio



Para marcar, agendar.
Informações, Palestras, Testemunhos e autógrafos  55-11-23875125

Aproveitem promoção de INAUGURAÇÂO, novo site http://magazineacalentar.com/ganhe-premio Ganhe um lindo kit de Beleza.

AQUI; concorra a 1 livro, ´só deixar o email, assinar newsletter e seguir.
Sorteios 21/04/11. Vem comigo.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Interferência na vida sexual é um dos maiores danos causados pela endometriose

Rádio ao Vivo
José Luiz Menegatti

Podcast
Constantes dores pélvicas, irregularidades na mestruação e infertilidade são os sintomas mais citados nos consultórios médicos por mulheres com endometriose, doença que afeta 15% da população feminina em idade reprodutiva. 

Além disso, esse mal também pode causar sérios problemas na vida sexual da mulher. Esse é o assunto que José Luiz Menegatti abordou com a ginecologista da Faculdade de Medicina da USP, doutora Flávia Fairbanks. Ouça a entrevista.
 Fonte;http://jovempan.uol.com.br/noticias/2011/02/mestruacao-e-infertilidade-em-debate.html
 O LIVRO; O SEQUESTRO DE UMA VIDA
Endometriose, dor crônica, 
Perseverança e Fé
Ganhe um Kit Beleza
Aproveitem promoção de inauguração
De 47,16 por 34,90


Só enquanto durar estoque disponível para campanha, ou até 21/04/11 as 12 hs.


Ganhe um livro
Regras; concorra ao sorteio dia 21/04/11, ás 12 hs. é só assinar newsletter e seguir este blog.Participe.

terça-feira, 15 de março de 2011

Endometriose e sexo

Endometriose e sexo

www.magazineacalentar.com
Veja Sinopse
Oi meninas, hoje vou falar de um problema sério, sexo.
Muitos relacionamentos são desfeitos quando a mulher fica doente,  a maioria tem problemas no relacionamento.
Eu, sempre tive este problema, no meu casamento de 20 anos, por 13 anos foi uma luta, a ultima coisa que eu pensava era em sexo, eu pensava, poxa vida,posso aquentar tanta dor, não é possivel que ele não possa aguentar tesão, pensava eu; isto é o de menos, até que fui numa sessão de psicologia onde tinham várias portadoras, com o mesmo problema,quando a psicóloga nos disse que nós deviriamos agradecer a Deus, e que muitos maridos perdem o interesse por suas mulheres nestas condições, mas que nós deveriamos conversar, prolongar o que puder, e que agradace nossos maridos como fosse possível,dizia ela;  tem outros métodos sem se esforçar, tudo bem!
 mas com dor eu não aceitava fazer nada, ja bastava a dor que estava sentindo. Mas enrola daqui, foge dali, conversa de la, não tem jeito tinha que acabar comparecendo, que tortura, infelizmente eu ficava de 2 a 3 dias péssima depois da relação. E o pior me sentindo violentada, pensava; meu Deus não aguento mais, estou me violentando, Senhor me da forças, até que no final ja com problemas sérios além desse, não consengui mais, chegou num ponto que o joguei de cima de mim, ele caiu no chão, e eu decidi não vou me violentar mais, bastam as dores, chega meu Deus, ou tira eu, ou ele, mas não aguento mais.
Foi quando nos separamos. Ele ja tinha aprontado tambem. Pecado meu Deus mas chegava a agradecer por outra pessoa resolver isto por mim.
Separei fiquei 2 anos sózinha, casei novamente com um famaceutico, que me disse, não quero você só para sexo, e realmente, ele sempre muito compeensivo, principalmente calmo pra isto, mesmo assim continuou sendo um martirio, gosto muito, amo, quero como companheiro, mas quando chega nesta hora, me revolto. Acho que estou me violentando, é um sentimento terrível, meu Deus se fosse naquele tempo que o homem podia ter mais mulheres, como isto ia me ajudar, não posso mandar procurar outra. Mas da vontade. Isto é torturante, nóssa! sinto muita raiva neste momento, depois penso, meu Deus se eu manda-lo embora, acabar com isto, mas como perder meu amigo meu companheiro?, principalmte meu amor, meu ajudador, é minhas pernas, meus braços nos dias difceis. Ele merece que eu cuide e zele por ele. Não digo que fico rezando pra ele terminar logo, não digo o que estou sentindo, que me sinto assexuada, principalmente tomando a zoladex já a dois anos os hormonios do sexo estão inativos, não sinto desejo nenhum, antes sinto desespero em ter que fazer minha parte.É uma luta muito revoltante, imagina pra quem ainda tem dispaurenia, meu Deus, odeio esta situação, porque não achei um meio termo, enrolo bastante, agrado, converso, as vezes cuido só dele, contanto que ele não me toque, mas isto é raro, não tenho disposição pra isto. Ha meu Deus se eu pudesse contratar alguém pra fazer isto kkkkkkkk, claro que não é possível, lógico que vou ter ciúme e medo de perder, mas a gente pensa em tudo para solucionar, ta ai gente. Espero que tenha alguém que se identifique com este problema. Abraços.
Maria Helena.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Ganhe O Sequestro De Uma Vida O LIVRO

Mulheres,portadoras de endometriose a vocês um presente, estarei doando um livro, para uma das seguidoras do blog, basta
Click em Seguir
assinar newsletter 
Quem quiser ganhar é só fazer isto. Pois o livro fala com a mulher em geral e com todos os Cristãos, pois é impactante o agir de Deus nesta vida.
Todos os cadastrados na newsletter e seguidores estarão concorrendo.
Participem; Postaremos aqui o sorteio. Começando hj, finalizando dia 10/04


Relato dos bastidores da endometriose, dor crônica, incapacidade fisica que desmacarando, 

È uma luta ao acordar, é o desafio de levantar, de andar, de comer, de falar e até mesmo de pensar, a cabeça precisa estar muito boa, para conseguir agüentar tudo isto. Além da incerteza de cada consulta,de cada medicamento novo que chega, estamos na fase da zoladex.
 È a preocupação de cada exame,cada  videolaparoscopia, de cada FIV, é a desesperança nos profissionais que encontramos pelo caminho, muitos são desumanos, não nos respeitam e na grande maioria nos tratam como se fossemos débeis,loucas, mal amadas. Quando encontramos profissionais  humanos eles vêem que é justamente o contrário, que somos super mulheres, capazes de suportar, tortura diária da dor, e continuarmos teimando em vencer.
É o desespero de passar cada dia, esperando que o outro seja melhor, a agonia de se enxergar menos mulher, prisioneira,deixando uma vida linda passar a seu lado, assistindo tudo orando a Deus para participar dos dias lindos que Deus nos da, dos eventos de família levando alegria e amizade.
Mais ainda, é a tristeza  de não poder trabalhar, estudar, planejar o futuro, porque não sabemos o que será  o amanhã. Isto depois de vastos anos de experiência, muito pé no chão, encarando a realidade de frente.
É a dor de perdermos,nossa capacidade de ir e vir, amigos , parentes, maridos , e nos sentirmos humilhadas, abandonadas e sozinhas.
 E quantos obstáculos  mais enfrentamos? E com tudo isto, digo: Somos vencedoras!
Na Biblia diz em cor. 3,16
Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espirito de Deus habita em vós?
Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá, porque o templo de Deus que sois vós é Santo.
Então temos também a responsabilidade de nos manter vivas, e lutar sempre, sabendo que a vitória vem. Jamais desistir, porque os desafios são para nos tornar mais fortes.
E assim a dor de viver, se torna em esperança e força, para se transformar na alegria de viver.
Enfim este livro mostra o outro lado da dor e incapacidade fisica, o quanto é importante o amor dos amigos e familiares. Na verdade a esperança é que amigos e familiares possam ler, para entender que neste caso a pessoa se encontra em um purgatório em vida. Deixam seus dodóis de lado(com todo respeito) e respeita as alterações  de humor daqueles que estão definhando na tortura da dor e do desespero.

A endometriose e Eu

www.magazineacalentar.com

Queridos amigos, venho através deste, colocar para vocês o video de insensato coração onde cita , o Blog da querida Carol, Moça, jovem, querreira, que trava sua luta com a algóz endometriose, o mal do século, infelizmente tudo que se expressa é a mais pura verdade, e pior que isto, só convivendo e vendo. Se conheço todo o mal que esta enigmática doença traz, alem das insuportavés dores, ela corroe tudo a sua volta, começando pelos familiares, amigos , empregos, maridos, e fazem a vida virar um deserto de tribulações.
O Pior mesmo é a política do tudo bem, que nossa sociedade infelizmente trabalha em cima disto, ninguém ouve ninguém, e quando uma portadora vai falar do que esta acontecendo, vira chacota , do tipo não da pra conversar com ela por que só fala em doença. Nem pra ser ouvida se encontra, vamos fazer um trabalho de atendimento através da comunidade Acalentar, e pelo telefone que la estará, para ouvirmos ao menos cada uma, com seu sofrimento e suas conquistas.omunidade
Comunidade Acalentar
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=55004380

Link; Insensato coração citando o blog a endometriose e eu.
http://insensatocoracao.globo.com/capitulo/leo-mente-para-raul-mais-uma-vez.html#cenas/1453907 

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Apesar da endometriose, Carol fica gravida em insensato coração

Carol vai ficar grávida de André: 'Um laço para toda vida', diz autor




Carol ficará em dúvida também se quer ter o bebê, mas, depois levará a gravidez até o fimCarol observa o sono de André após ficarem juntos

Depois de levar um fora de André (Lázaro Ramos) na cena que vai ao ar nesta terça-feira, em "Insensato coração", Carol (Camila Pitanga) terá uma surpresa e tanto. Ela descobrirá que está esperando um filho do designer, que receberá a noticia quando voltar de férias da Europa.
           
www.magazineacalentar.com
Endometriose,dor crônica.
- Com o toco que ganha de André, Carol diz umas verdades na  
cara dele e sai por cima da situação. André viaja para a Europa antes de começar no escritório de Marina (Paola Oliveira). Nesse meio tempo, Carol está resolvida a esquecê-lo e partir para outra. Então chega a bomba. Na noite em que transaram no carro, após o jogo, foi a única vez em que ela transou sem camisinha, porque não foi planejada. E ela descobre que está grávida. Ou seja, há um laço para toda a vida a ligá-la a ele - adianta Ricardo Linhares, autor da novela com Gilberto Braga.
 
André vai sugerir que ela faça um aborto. Carol ficará em dúvida também se quer ter o bebê, mas, depois levará a gravidez até ofim.                  
                                                                               
 

- Primeiro ela pensa em abortar porque acabou de ser promovida à diretora de marketing do Grupo Drumond, e o filho impediria que ela assumisse o cargo. No fundo, Carol sempre sonhou em ter uma família convencional, não uma produção independente. Mas na clínica de aborto, ela muda de ideia. Como teve endometriose, essa é provavelmenta sua única chance de ser mãe - diz Ricardo Linhares.
 

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Drama de novela: quando tratada, mulher com endometriose pode engravidar


Personagem de Camila Pitanga, na novela Insensato Coração, teme não poder engravidar

                                                            O sonho de ser mãe parece distante da vida de Carol Miranda, personagem de Camila Pitanga na novela Insensato Coração, da Rede Globo. A executiva bem-sucedida se vê obrigada a adiar a maternidade por sofrer de endometriose, doença que causa cólicas intensas e até infertilidade em algumas mulheres em idade reprodutiva. Porém, segundo médicos, com tratamento adequado, a mulher pode engravidar.
De acordo com o ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz Aléssio Calil, durante a menstruação, as células do endométrio (camada central do útero) retornam à cavidade abdominal, gerando um processo inflamatório. Com isso, as cólicas se tornam muito fortes.
— O principal sintoma da endometriose são as cólicas intensas que até impossibilitam as mulheres de desempenharem suas atividades normais, como trabalhar — afirma o médico. m aparecer logo no início da adolescência, entre 12 e 14 anos, em garotas que já começaram a menstruar.
— É importante as mães ficarem atentas e levarem as filhas ao ginecologista quando a reclamação de cólica intensa for frequente — alerta Calil.
O diagnóstico pode ser realizado com ultrassonografia, ressonância magnética e exame de sangue do tipo CA 125. Se detectado o quadro, o tratamento é feito com medicamentos, que podem bloquear a menstruação. Em casos mais severos, no entanto, recomenda-se a cirurgia por videolaparoscopia.
— Após a cirurgia, é bem difícil que a mulher volte a ter endometriose — afirma o especialista.
Com o procedimento cirúrgico, acaba o processo inflamatório no peritônio, o qual dificulta a implantação do ovo fecundado na parede uterina - principal .   causa da infertilidade por endometriose.
http://zerohora.clicrbs.com.br

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

estudo de associação ampla de genoma identifica as variações no DNA das mulheres que os predispõem ao desenvolvimento da endometriose

 À todas as mulheres; Informativo
doença enigmática do século XXl.
                   À todas as portadoras de endometriose, dor
crônica e incapacidade fisíca.

À todos os portadores de dor crônica,
doenças incapacitantes.

Á todos os cristãos; O grande testemunho
que Deus fez e faz nos dias de hoje, cuidando a cada dia por anos a fio nos
minímos detalhes, Deus é detalhista com os filhos Dele. Preste atenção e o verá
a sua volta em todos, todos os momentos.

 todos os amigos e familiares destas pessoas,
que são capazes de alimentarem-nas de muito amor e compreensão, para que elas
tenham forças para sair do purgatório e vencer .

www.magazineacalentar.com                        Aos sãos, saudáveis,
À todos que quiserem descobrir a força que
tem, e que tem tudo para vencer, absolutamente tudo. Basta analisar de verdade
esta história e não mais haverá impossibilidades e medos, porque descobrirão
que como filhos de Deus, e todo filho é imagem e semelhança do Pai, então são
Deuses e podem tudoooooooooo.

Que todos consigam tirar deste, o que
realmente desejo passar,principalmente a visão que tudo é possível aquele que crê.

O livro pode ser encontrado www.magazineacalentar.com,  www.amazon.com,
www.biblioteca24x7.com.br com versão digital,

estudo de associação ampla de genoma identifica as variações no DNA das mulheres que os predispõem ao desenvolvimento da endometriose
Este é o primeiro estudo de associação do genoma para dar evidências robustas de variações no DNA das mulheres com endometriose, mostrando que a endometriose moderada a grave é significativamente mais do que a doença geneticamente guiadas mínima-para-leve.
Pesquisadores do Reino Unido, Austrália e EUA identificaram duas regiões nos cromossomos 7 e 1 associada à endometriose, uma doença que pode causar dor pélvica grave e infertilidade nas mulheres. O estudo, publicado hoje na revista Nature Genetics[1], dá a primeira evidência sólida de variações no DNA das mulheres com endometriose de ascendência européia que predispõem a desenvolver a condição, que afeta um número estimado de 176 milhões de mulheres no mundo durante seus anos reprodutivos.

Professor Montgomery Grant
O autor sênior professor Grant Montgomery, Queensland Institute of Medical Research, em Brisbane, explica: " Os estudos até agora têm demonstrado que a endometriose é hereditária, mas que não foi abordado carga genética de diferentes estágios da doença. O Internacional endógenas Consortium (IEC) foi capaz de concluir que a grave endometriose moderada é significativamente mais do que geneticamente orientada-a-leve doença mínima, que tem implicações na forma como pesquisamos a outra condição ", disse Montgomery.
O Internacional endógenas Consortium (IEC), realizado o maior estudo do genoma associadas à data, ea primeira em mulheres de ascendência européia, comparando mais de 500.000 variações do DNA entre um total de 3.194 casos de endometriose, Austrália e Reino Unido, e 7.060 controles. Na segunda etapa, envolvendo a análise de mais 2.392 casos e 1.646 controles dos EUA, uma variante de DNA no cromossomo 7 foi confirmado para transportar cerca de 20%, um aumento do risco de endometriose.
A variante apareceu para transportar um maior risco (40%) de doença moderada a grave.
O estudo também confirmou IEC evidências sugestivas de uma variante de DNA do cromossomo 1, relatada previamente para ser associada à endometriose em mulheres japonesas [2]. Esta variante, o que aumenta o risco de endometriose por 16% do total no estudo IEC, fica perto da WNT4 gene, o que é importante para o metabolismo hormonal eo desenvolvimento do trato reprodutivo feminino, especialmente os ovários, tornando-o um candidato biológicos importantes para envolvimento em endometriose.

Dr Zondervan Krina
O autor sênior Dr. Krina Zondervan, a Wellcome Trust Fellow na Universidade de Oxford, comenta: " mais pesquisas para compreender o efeito dessas variações sobre as células e moléculas no corpo terá de ser realizado. Estamos confiantes de que nossos resultados acabarão por contribuir para melhorar os métodos de diagnóstico e tratamento desta doença devastadora, que afeta milhões de mulheres durante o principal período de suas vidas ", disse Zondervan.

Dr Missmer Stacey
O autor sênior Dr. Stacey Missmer, Harvard Medical School e & Women's Hospital Brigham, em Boston, acrescenta: " É nosso objectivo continuar a descobrir a etiologia genética e molecular de endometriose através de sempre em expansão em grande escala de pesquisa colaborativa. Somente através da colaboração internacional, somos capazes de maximizar a oportunidade de melhorar nossa compreensão das causas da endometriose ", conclui Missmer.
O Internacional endógenas Consortium (IEC) foi criada em 2008 e baseia-se em mais de 15 anos de pesquisa em endometriose pelos respectivos grupos. O presente estudo foi financiado por uma doação da Wellcome Trust, com financiamento adicional concedido pela Australian National Health and Medical Research Council.
Referências :
1.       Pintor JL, et al. ampla associação de estudo do genoma identifica um locus em 7p15.2 associada à endometriose. Nature Genetics doi: 10.1038/ng.731
2.      Uno S, et al. Um estudo de associação ampla de genoma identifica variações genéticas no DKHN2BAS locus associada à endometriose em japonês. "Nature Genetics" de 2010; 42 (8) :707-10 .
 Siga e mantenha-se atualizado com as notícias na endometriose: http://twitter.com/#!/endometrioselvr
Fonte;HTTP://endometriosis.org/blog/2010/genome-wide-association-study-identifies-dna-predisposing-women-to-endometriosis

Veja mais