A VERDADE SOBRE ENDOMETRIOSE QUE NINGUÉM VÊ OU QUER VER

endometriose Hoje, 3 de dezembro, é o dia mundial das deficiência invisíveis. Como a minha. Gostaria de dedicar este pensamento a todas as "pessoas", e eu escrevo entre aspas ironicamente porque não as considero essas mas as considero como esterco, que nos últimos anos têm gozado a minha doença, a minha dor física e moral, subestimaram as minhas condições De Saúde (a propósito: no dia 16 de dezembro eu volto na sala de cirurgia pela sexta vez em três anos), eles fazem piadas humilhantes no meu handicap, fingiram ser amigas. tentaram de todas as formas falar mal entre as rodas embora sabendo tudo de mim. Aqui está: saibam que existimos nós também #disabiliinvisibili, não somos Alex Zanardi, não somos Beatriz vio ou todos estes campeões de vida que elogiadas (com razão) nos vossos post. Somos pessoas anônimas, desconhecidas, que sofrem, que gritam sem ser ouvidas. Que sofrem humilhações e afrontas e não podem fazer nada. Eu estou doente. Sou uma mulher que sofreu três amputações: intestino, ampola retal e bexiga. Quatro exportações parciais: Ureter Sx, útero, vagina e ligamentos útero-Lombares. Tenho os nervos lombares tão estragos que se eu não tivesse incluído um neuro estimulador na coluna, não posso desempenhar as minhas funções corporais de forma independente. A minha doença não tem cura. Fico por aqui, não estou a listar as mil coisas que não posso mais fazer, porque não quero piedade. É agora que você perceba que as consequências da #endometriose não são piadas. Aqui trata-se de incapacidades permanentes, de órgãos amputados que não permitirão mais uma existência normal. O seu não reconhecer nós deficientes invisíveis é a demonstração da sua ignorância e, sobretudo, da sua mesquinhez. Não se ri nunca do sofrimento dos outros. Nunca. #Giornatamondialedelledisabilitainvisibili #Iosonodisabileinvisibile #Rompiamoilsilenzio CHEGA: #vamosgritar, #vamosgritar, #vamosgritar ASSINEM E REPASSEM A PETIÇÀO, PEÇA AOS AMIGOS QUE AJUDEM. #juntasnumasovoz não #vamosassinar, #vamosagir.

Obrigada Suzana Pires e Julio Fisher

segunda-feira, 14 de julho de 2014

G1 Pedagoga com endometriose se ‘inspira em doença’ e cria livro em MG

Obra foi lançada em Uberlândia e contempla área medicinal e autoajuda. Livro traz depoimentos de quem vive a doença, inclusive a própria autora.



 Assine





A dor deu origem as escritas e a doença se tornou protagonista de um livro. Foi assim que a pedagoga Leda Gonzaga Alves, de 46 anos, resumiu a publicação ”Endometriose – O Silêncio e a Dor da Alma”, lançada esta semana em Uberlândia.

O livro é o segundo da trajetória da escritora, mas o primeiro que contempla a mistura de gêneros – medicinal com autoajuda. 






“Lançar um livro, seja qual for o estilo, não é muito fácil, ainda mais quando fala de doença. Minha vontade é levar informações para quem sofre, como eu, desse mal”, contou.

Leda Gonzaga é convive há 15 anos com a endometriose. Ela ressaltou que já passou por diversos tratamentos e duas cirurgias e que não descarta uma terceira. “Desde que soube da doença comecei a escrever e rascunhar experiências, sentimentos e coisas que lia e via sobre a doença. Em outubro de 2013, os rabiscos foram ganhando forma. Tive apoio de uma editora e em menos de um ano o livro já estava publicado”, disse.

A obra fala da endometriose, uma doença enigmática, traiçoeira e desafiadora aos olhos da medicina. A intenção, segundo a autora, é levar informações sobre o que a doença é capaz de fazer na vida de uma mulher.“O livro não traz só teoria, mas revela, tanto no meu depoimento quanto em outros, vivências, muitas delas dolorosas. A endometriose é conhecida como a doença da mulher moderna e nos dias atuais existem mais médico empenhados e interessados em tratá-la. Porém, as pesquisas apontam que mais da metade das mulheres do mundo desconhecem a doença”, contou.

A pedagoga Leda Gonzaga explicou que, segundo pesquisas e depoimentos de pacientes, a endometriose causa cólicas, menstruação irregular, dor profunda e desconfortável na relação sexual, inchaço, dor muscular e abdominal, dentre outros sintomas. “É uma das principais causas de infertilidade, atingindo 40% das mulheres com dificuldade em ter filhos. A doença ainda pode acometer os órgãos reprodutores, como o útero, as trompas e os ovários. A bexiga, os rins e intestino também podem ser afetados. A doença pode levar anos para ser descoberta”, esclareceu.

Leda Gonzaga confidenciou ao G1 que sempre foi apaixonada pela literatura desde a infância e que amava desenhar e escrever. Ela nunca se desanimou com os “nãos” que a vida lhe impôs e após várias tentativas, teve a sua obra aceita. “A ideia do livro veio quando enviei alguns originais a diversas editoras. Recebi vários ‘nãos’, mas em meio a eles veio um ‘sim’. Comemorei feito uma criança e hoje vejo meu sonho realizado. A intenção é fazer pelo menos mais três lançamentos na cidade, mas as datas ainda não foram oficializadas”, concluiu.





 livro
"Endometriose – O Silêncio e a Dor da Alma" foi lançado pela editora Gregory na quinta-feira (10) no Armazém Literário, em Uberlândia. A obra, que tem 102 páginas, foi definida pela autora como um alerta e ao mesmo tempo um pedido de socorro às autoridades responsáveis pela área de saúde. A tiragem inicial foi de 350 exemplares.

No livro a autora faz um panorama sobre a endometriose, suas causas e consequências.
A endometriose é um problema de saúde que afeta mulheres e tem sido um desafio para a medicina. Ainda não se sabe a causa, mas os estudos não param. O livro traz depoimentos de mulheres que vivenciaram a doença, constam também dicas de profissionais que poderão auxiliar no tratamento da endometriose. São experiências compartilhadas que podem ajudar na busca por um caminho menos doloroso.

A obra pode ser adquirida por meio do e-mail ledagonzagalves@hotmail.com ou pelo site de uma das editoras apoiadoras. O valor é R$ 38. 

Pegue o seu em :  Magazine Acalentar  Receba em seu endereço.

Link: Matéria no G1: http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2014/07/portadora-de-endometriose-se-inspira-em-doenca-e-cria-livro-em-mg.html

Vejam fotos do evento. 
         



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para nós. Participe.