A VERDADE SOBRE ENDOMETRIOSE QUE NINGUÉM VÊ OU QUER VER

endometriose Hoje, 3 de dezembro, é o dia mundial das deficiência invisíveis. Como a minha. Gostaria de dedicar este pensamento a todas as "pessoas", e eu escrevo entre aspas ironicamente porque não as considero essas mas as considero como esterco, que nos últimos anos têm gozado a minha doença, a minha dor física e moral, subestimaram as minhas condições De Saúde (a propósito: no dia 16 de dezembro eu volto na sala de cirurgia pela sexta vez em três anos), eles fazem piadas humilhantes no meu handicap, fingiram ser amigas. tentaram de todas as formas falar mal entre as rodas embora sabendo tudo de mim. Aqui está: saibam que existimos nós também #disabiliinvisibili, não somos Alex Zanardi, não somos Beatriz vio ou todos estes campeões de vida que elogiadas (com razão) nos vossos post. Somos pessoas anônimas, desconhecidas, que sofrem, que gritam sem ser ouvidas. Que sofrem humilhações e afrontas e não podem fazer nada. Eu estou doente. Sou uma mulher que sofreu três amputações: intestino, ampola retal e bexiga. Quatro exportações parciais: Ureter Sx, útero, vagina e ligamentos útero-Lombares. Tenho os nervos lombares tão estragos que se eu não tivesse incluído um neuro estimulador na coluna, não posso desempenhar as minhas funções corporais de forma independente. A minha doença não tem cura. Fico por aqui, não estou a listar as mil coisas que não posso mais fazer, porque não quero piedade. É agora que você perceba que as consequências da #endometriose não são piadas. Aqui trata-se de incapacidades permanentes, de órgãos amputados que não permitirão mais uma existência normal. O seu não reconhecer nós deficientes invisíveis é a demonstração da sua ignorância e, sobretudo, da sua mesquinhez. Não se ri nunca do sofrimento dos outros. Nunca. #Giornatamondialedelledisabilitainvisibili #Iosonodisabileinvisibile #Rompiamoilsilenzio CHEGA: #vamosgritar, #vamosgritar, #vamosgritar ASSINEM E REPASSEM A PETIÇÀO, PEÇA AOS AMIGOS QUE AJUDEM. #juntasnumasovoz não #vamosassinar, #vamosagir.

Obrigada Suzana Pires e Julio Fisher

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Endometriose , conscientização para os médicos


Dor pélvica em mulheres banalizada

Banalização da dor pélvica da mulher poderia ser devastador, diz o autor de um novo relatório.
Gynaecologist Susan Evans diz que a questão das mulheres foi muitas vezes ignorado, levando a atrasos no diagnóstico de doenças graves.

"É uma dor que os homens não conseguem, ou não gosto particularmente de ouvir sobre isso ... é tão fácil para normalizar a sua dor e dizer que não pode ser tão ruim", disse o Dr. Evans AAP no domingo.
O relatório, escrito em conjunto com o sem fins lucrativos de saúde grupo de lobby Dor Austrália, descobriu que a falta de conscientização da comunidade significava que as mulheres podem estar sofrendo em silêncio.
http://magazineacalentar.com/livraria.html
Amazom.com
Livraria Cultura
Biblioteca24horas

Condições, tais como endometriose do útero desordem, complicações de parto, do intestino irritável ou síndrome da bexiga pode ir undiagnosed ou maltratados.
O resultado, relações sexuais dolorosas e períodos de erosão da capacidade da mulher para participar na vida escolar, trabalho e família e levar a problemas de fertilidade.
"Como você pode ver, toda a condição pode ser totalmente devastadora para as mulheres que são afetados", disse o Dr. Evans.
Dor pélvica pode começar tão cedo quanto do ensino médio, com um dos estudos do relatório caso, uma mulher de 23 anos de idade, com queixa de dor tão cedo quanto 10 anos de idade.
Levou a mulher mais de 11 anos e mais de 100 consultas para diagnosticar a endometriose.
Outras mulheres pode não ser tão persistente, com membros da família descartando a dor.
"Com o tempo que realmente come a sua confiança e ela começa a duvidar de si mesma," o Dr. Evans disse.
, ela disse.
"Ele requer um repensar de todo o espectro da experiência das mulheres", disse o Dr. Evans.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para nós. Participe.