terça-feira, 16 de setembro de 2014

O Grito


        Quando me vejo com dor, lembro- me desse quadro, intitulado “O Grito”   é uma série de quatro pinturas do norueguês Edvard Munch, a mais célebre das quais datada de 1893. A obra representa uma figura andrógina num momento de profunda angústia e desespero existencial. (Wilkipédia, 05- 08- 2014, 11:57 h)


    O desespero e a incerteza tomam conta de mim, o  caminho, acaba se tornando macabro, até onde a aflição persistirá e quando terá um fim?      
    Os  médicos me disseram que quando casasse a dor melhoraria,encontrei um príncipe, casei e nada,o mal estava ali implacável, sombrio e amargo.
  Disseram-me mais uma vez,  que  engravidasse,   a dor acabaria, assim mesmo sem condições financeiras engravidei,, engravidei  e engravidei e hoje e sempre darei graças a Deus pois  descobri que engravidar já tinha sido um milagre. Apesar da gravidez  e da felicidade de ser mãe a agonia não teve fim.
     A sombra do fundo  do quadro , na minha visão endometriótica  são os médicos que nada sabem, não pesquisam  e falam do que não buscam compreender.  Eles opinam sobre o assunto , fazendo testes, sem se importar com os  sentimentos e nos deixam  pior que  entramos, quando não conseguem, mandam para o psiquiatra, que por sua vez, medicam a dor com calmantes como se não existisse e faz nos acreditar que somos loucas.
    O desgosto não acaba, , no quadro vem andando duas pessoas, são os julgadores das sofredoras,,não bastasse o sofrimento, ainda aparecem os opressores, aqueles que abrem a boca para dizerem que somos moles, preguiçosas, que isso é normal, coisas de mulher. Como uma dor, que se parece como de parto pode ser normal? Isso, todos os dias, minutos e segundos na sua vida. Para umas,duram dias;  para outras,meses;  para outras,, anos e para outras, uma vida.
 O laranja do  céu recria ainda que  desbotado,  o sangue perdido com as dores, hemorragias, dismenorréia,e etc... As linhas sinuosas também estão presentes no céu, na água demonstram uma dor sem fim, contínua, que despreza a vida, modifica sua história, te prostra,, te diminui, te faz senti inferior e dói na alma. Por isso escolhi essa obra, por ser tão dramática e interessante.
    Termino estas palavras agradecendo ao Autor da minha fé, que mesmo diante de tantas adversidades, nos momentos mais difíceis colocou pessoas maravilhosas que me apoiam e amam incondicionalmente. Aos meus presentes filhos e minha mãe que torcem por mim e me amam apesar das dificuldades. A Ong Acalentar na pessoa da nossa amiga Maria Helena Nogueira que sempre está de coração aberto para ajudar as portadoras, com amor, dedicação e carinho. Obrigada!!!
                                           Patrícia Gomes Vilaça

                                                (Minas Gerais)


Clique no livro e pegue o seu

 Ajude à viver e  a Acalentar vidas clique na casa amarela e venha participar 


 Ajude à viver e  a Acalentar vidas


 Vamos #juntasnumasovoz , imprimam a petição e colham assinaturas, tirem fotos  ou escaneie e nos envie para mariahelena@endometriosemulher.com

2 comentários:

  1. Maraaaaa!!!!!!!kkkkk amo vcs!!!!!!somos guerreiras!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Um dos pôsteres que me fez levantar e ter vontade de gritar.

    ResponderExcluir

Sua opinião é importante para nós. Participe.