A VERDADE SOBRE ENDOMETRIOSE QUE NINGUÉM VÊ OU QUER VER

endometriose Hoje, 3 de dezembro, é o dia mundial das deficiência invisíveis. Como a minha. Gostaria de dedicar este pensamento a todas as "pessoas", e eu escrevo entre aspas ironicamente porque não as considero essas mas as considero como esterco, que nos últimos anos têm gozado a minha doença, a minha dor física e moral, subestimaram as minhas condições De Saúde (a propósito: no dia 16 de dezembro eu volto na sala de cirurgia pela sexta vez em três anos), eles fazem piadas humilhantes no meu handicap, fingiram ser amigas. tentaram de todas as formas falar mal entre as rodas embora sabendo tudo de mim. Aqui está: saibam que existimos nós também #disabiliinvisibili, não somos Alex Zanardi, não somos Beatriz vio ou todos estes campeões de vida que elogiadas (com razão) nos vossos post. Somos pessoas anônimas, desconhecidas, que sofrem, que gritam sem ser ouvidas. Que sofrem humilhações e afrontas e não podem fazer nada. Eu estou doente. Sou uma mulher que sofreu três amputações: intestino, ampola retal e bexiga. Quatro exportações parciais: Ureter Sx, útero, vagina e ligamentos útero-Lombares. Tenho os nervos lombares tão estragos que se eu não tivesse incluído um neuro estimulador na coluna, não posso desempenhar as minhas funções corporais de forma independente. A minha doença não tem cura. Fico por aqui, não estou a listar as mil coisas que não posso mais fazer, porque não quero piedade. É agora que você perceba que as consequências da #endometriose não são piadas. Aqui trata-se de incapacidades permanentes, de órgãos amputados que não permitirão mais uma existência normal. O seu não reconhecer nós deficientes invisíveis é a demonstração da sua ignorância e, sobretudo, da sua mesquinhez. Não se ri nunca do sofrimento dos outros. Nunca. #Giornatamondialedelledisabilitainvisibili #Iosonodisabileinvisibile #Rompiamoilsilenzio CHEGA: #vamosgritar, #vamosgritar, #vamosgritar ASSINEM E REPASSEM A PETIÇÀO, PEÇA AOS AMIGOS QUE AJUDEM. #juntasnumasovoz não #vamosassinar, #vamosagir.

Obrigada Suzana Pires e Julio Fisher

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Endometriose e Risco de Suicídio

Depois não digam que não pedimos socorro! Ninguém quer ouvir.
Hipocrisia tem limites.


Incrível a luta destas mulheres guerreiras, transcendem os limites humanos todos os dias, a única coisa que explica tal força é Deus, independente de religião Deus é Deus.
Não poderia escrever sobre esta matéria e me manter ausente, quero dizer que tenho sofrido horrores e sem paz de dia ou noite. A situação tem sido tão grave que me afastei  de tudo e todos, me isolei, por força das dores. Também obedecendo ordens da Dra. Jéssica, minha psiquiatra que me pediu para me  afastar de tudo que relacionado a  endometriose, porque falar e ouvir relatos só vem nos auxiliar a entender um pouco mais, mas infelizmente estou dilacerada pelas dores e totalmente incapacitada, tendo brigas diárias com o monstro que nos manda a todo momento acabar com isto. Já disse estas mulheres não querem morrer, entendam isto. ELAS QUEREM VIVER, VIVER.  Mas é para nós o único meio plausível de acabar com a dor?, um ledo engano, por mais que estejamos sofrendo nada se compara a eternidade no inferno onde o bicho não morre e o fogo não se apaga. E lá, digo sempre, não tem como se matar ou fugir. È sério cuidado para não desistires para não "seres lançado no inferno, no fogo que nunca se apaga,Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga".Marcos 9:45B-46
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus.Apocalipse 2:7 Leiam apocalipse.
Estes dias tenho olhado profundamente quais são as minhas chances, pesquisado, buscado informações, e em meio a 7 bilhões de habitantes na terra, não vejo uma única solução. Só me pergunto e   agora quem poderá me socorrer? onde buscar ajuda? Com quem falar?. Mesmo assim tenho pedido forças a Deus quase que de hora em hora para vencer a dor e o desespero, tenho convivido e socorrido, apesar da proibição médica com mulheres que também estão nesta situação e na minha mui pequenina força peço e até grito " você não vai fazer isto". Embora é também o meu grande desejo, meus pulsos chegam a pulsar, minha jugular pulsa, e uma vóz diz: " chega, acabe com isto, chega de tanto sofrimento, não há esperanças, você está caminhando para a morte mesmo. É onde busco socorro em Deus e peço ajuda, peço que meus amigos não se cansem de orar, explico que a endometriose é uma doença cruel, segundo o saudoso especialista Dr. Pinotti a mais cruel doença que ele já viu, pois tem um comportamento maligno como um paciente terminal de câncer, mas é impiedosa, cruel, perversa, ela não sai de maneira nenhuma e não permite que a portadora morra, ao menos não levando a culpa, as consequências podem levar a morte, e assim a morte é descrita com outras causas,  ela engana todo o poder terreno que a deixa terceiros, quartos e quintos planos, sem atendimento e com requintes de maus tratos, humilhação e violência contra a mulher em hospitais,consultórios médicos... Ela é uma besta fera sarcástica, terrível, certamente ela tem um riso irônico ao ver nosso sofrimento e fica certamente esperando que desistamos. Mas vou dizer pra ela em auto e bom tom, ela é uma perdedora, fracassada e derrotada.
 Peça já
Pegue já o seu
Nota: ( Não deixo de atender um pedido de socorro, não importa minha situação, sei o que significa ser ouvida no momento certo. Não atendo e não converso no meu isolamento com assuntos irrelevantes que não corram risco de vida, ou não estejam em desespero, dor, sofrimento. Pelo menos até que eu melhore. Mas qualquer portadora que me liga e que eu sinta que possa ajudar de alguma forma, eu atendo, que fique bem claro que podem me ligar a hora que precisarem. Até porque, se nós não nos escutarmos, quem poderá fazê-lo?). Estamos preparando local adequado para que voluntárias possam auxiliar no atendimento. Pessoas capacitadas e preparadas para ouvi-las, são conscientes, ciente e que compartilham como familiar ou amigo de portadoras, também profissionais de saúde habilitados.
Portanto esta Matéria a seguir de Philippa Brifge é fantástica, cheia de detalhes e ricas informações. Veio a calhar neste momento. Só penso em você chamando seus famíliares e amigos para ler. Envie a todos. assim saberão o tamanho do monstro que enfrentamos dia e noite,noite e dia, e o quão somos fortes, valentes, guerreiras e surreal porque não temos como explicar tamanha força. Até porque veja aqui um dos homens mais fortes do planeta, numa situação de sofrimento e que graças a Deus é passageira.
Depois diga: SOMOS SURREAL, não humanas, temos a forçado nosso PAI JESUS. 

Para todas aquelas que se dizem resistentes a dor, vejam este video. Depois analisem e passem a dizer graças a Deus a dor que sinto são amenas e não me incapacitam. Não ousem julgar sua irmã, pois infelizmente a endometriose é progressiva e se você não sente dor ou a dor é suportável, agradeça e seja feliz de verdade.
Vejam o desespero de dor do Senhor Anderson Silva. Graças a Deus é passageiro. Que ele se recupere totalmente e volte logo. Força Anderson.
 Lembrem-se passamos isto todos os dias e por anos a fio.




                             ENDOMETRIOSE E RISCO DE SUICÍDIO


SEGUNDA-FEIRA, 17 DE FEVEREIRO, 2014 / PHILIPPA BRIDGE-COOK, PHD
Philipa Ponte de Cook
O texto alarmante veio para o meu telefone numa sexta à tarde: "Eu quero morrer." Foi a partir de um amigo com endometriose que estava sofrendo com a dor intensa de novo, e me sentindo como o sofrimento contínuo era insuportável. Esse texto levou a uma visita ao pronto-socorro, o que acabou resultando em uma internação de três dias em uma unidade de saúde mental de curta duração. Infelizmente, não mudou muito: o ciclo da dor continua, e meu amigo permanece incerto de como lidar com a dor severa, que é a certeza de voltar.
Infelizmente, este não foi o primeiro incidente de depressão e pensamentos suicidas graves que tenho tido conhecimento associada à endometriose. No passado mês sozinho, toda a nossa rede de apoio que eu tenho conhecimento de outras quatro instâncias onde as pessoas expressaram pensamentos suicidas e querer morrer por causa do desespero e desesperança de lidar com a dor que a maioria das pessoas não entendem. E muitas pessoas com endometriose continuam a sofrer de dor refratária ao tratamento medicamentoso, por isso pode ser particularmente difícil para ter esperança de um futuro melhor.
A dor crônica devido a qualquer causa tenha sido mostrado para ser associada com a depressão .Esta não é uma descoberta surpreendente, como qualquer um que tenha vivido com a dor para qualquer quantidade significativa de tempo vai saber que o isolamento social, incapacidade de participar de atividades normais da vida diária, e pura exaustão, pode levar a sentimentos de depressão e desesperança. Pacientes com dor crônica têm 2-5 vezes maior risco de desenvolver depressão, e cada condição afeta o outro: a depressão pode piorar a percepção da dor, ea dor pode agravar a depressão. Além disso, estudos têm demonstrado que, quando a dor é moderada a grave, prejudica o funcionamento diário, e é difícil de tratar, que está associado com piores sintomas depressivos e resultados .
Embora a associação entre a endometriose, em especial, com a depressão não foi estudado, é lógico que a endometriose pode ser ainda mais fortemente associada com a depressão do que outras condições de dor crônica. Em geral, a dor associada à endometriose tende a ser demitido por profissionais médicos e, assim, undertreated ( por exemplo, veja esta história ). E as pessoas com endometriose pode não obter o apoio social e emocional que eles precisam de pessoas à sua volta, por causa de uma falta geral de compreensão da doença e os efeitos que pode ter sobre o corpo eo espírito de uma pessoa.
Um estudo examinou a associação entre condições de dor crônica e risco de suicídio . A maioria dos diagnósticos clínicos foram dor associada com um risco aumentado de suicídio, e os riscos mais elevados foram para a dor psicogênica (dor sem causa física conhecida, geralmente atribuída a fatores psicológicos), enxaquecas e dores nas costas. É particularmente interessante, mas talvez não surpreendente, que a dor psicogênica representa o maior risco para o suicídio neste estudo. Porque a dor psicogênica é definida como dor sem causa conhecida físico, é impossível para tratar a causa subjacente, uma vez que não se sabe, eo próprio sintoma dor é provavelmente undertreated por médicos que afirmam que a causa é tudo na cabeça do paciente.
Este tipo de pensamento vai, infelizmente, ser muito familiar para pacientes com endometriose. Muitos de nós já foi dito que a nossa dor é tudo ou na maior parte em nossas cabeças, ou é mais psicológica do que física ( por exemplo, veja esta história ). Imaginem o desespero que pode ser causada por lidar com a dor severa, pior do que o parto, mês e sai mês, ou até mesmo todos os dias, e ser informado pelos médicos que a dor era apenas na sua cabeça? Sabendo que não é, e que, sem tratamento, você terá que viver com essa dor para o resto da sua vida? E imagine perder o emprego, ou ter sua licença de sócio, por causa de sua doença. É fácil ver por que a depressão se transforma em desespero, vira-se para pensar que você preferiria morrer do que viver.
No entanto, com cuidados médicos compassivo e apropriado, a dor da endometriose pode ser tratada.A dor pode ser tratada com o manejo da dor médica adequada, com dieta, acupuntura e fisioterapia.Própria endometriose pode ser tratada com excisão cirúrgica, muitas vezes com alívio duradouro da dor. Nancy Petersen , que fundou o primeiro centro a excisão cirúrgica de endometriose em os EUA, com David Redwine, MD, afirmou que, embora cerca de 75 por cento de seus pacientes já havia sido dito a sua dor estava em sua cabeça, a maioria de seus pacientes tinha endometriose comprovada por biópsia, e teve alívio da dor após a endometriose foi removido cirurgicamente.
Nancy Petersen afirmou que "a endometriose pode não ser fatal, mas o desespero pode ser." Precisamos continuar a mover-se em direção ao reconhecimento da endometriose como a doença que alteram a vida que ele é. Precisamos de continuar a esforçar-se para fazer um tratamento eficaz acessível para todos os pacientes com endometriose. Precisamos fazer com que todos os prestadores de cuidados de entender a gravidade da dor que a endometriose pode causar, de modo que a própria dor pode ser tratada de forma adequada. E precisamos reconhecer o potencial para a depressão e até mesmo suicídio, e trazer essas discussões difíceis sobre as conseqüências emocionais de viver com endometriose para fora no aberto.
Fonte:http://www.hormonesmatter.com/endometriosis


Um comentário:

Sua opinião é importante para nós. Participe.