A VERDADE SOBRE ENDOMETRIOSE QUE NINGUÉM VÊ OU QUER VER

endometriose Hoje, 3 de dezembro, é o dia mundial das deficiência invisíveis. Como a minha. Gostaria de dedicar este pensamento a todas as "pessoas", e eu escrevo entre aspas ironicamente porque não as considero essas mas as considero como esterco, que nos últimos anos têm gozado a minha doença, a minha dor física e moral, subestimaram as minhas condições De Saúde (a propósito: no dia 16 de dezembro eu volto na sala de cirurgia pela sexta vez em três anos), eles fazem piadas humilhantes no meu handicap, fingiram ser amigas. tentaram de todas as formas falar mal entre as rodas embora sabendo tudo de mim. Aqui está: saibam que existimos nós também #disabiliinvisibili, não somos Alex Zanardi, não somos Beatriz vio ou todos estes campeões de vida que elogiadas (com razão) nos vossos post. Somos pessoas anônimas, desconhecidas, que sofrem, que gritam sem ser ouvidas. Que sofrem humilhações e afrontas e não podem fazer nada. Eu estou doente. Sou uma mulher que sofreu três amputações: intestino, ampola retal e bexiga. Quatro exportações parciais: Ureter Sx, útero, vagina e ligamentos útero-Lombares. Tenho os nervos lombares tão estragos que se eu não tivesse incluído um neuro estimulador na coluna, não posso desempenhar as minhas funções corporais de forma independente. A minha doença não tem cura. Fico por aqui, não estou a listar as mil coisas que não posso mais fazer, porque não quero piedade. É agora que você perceba que as consequências da #endometriose não são piadas. Aqui trata-se de incapacidades permanentes, de órgãos amputados que não permitirão mais uma existência normal. O seu não reconhecer nós deficientes invisíveis é a demonstração da sua ignorância e, sobretudo, da sua mesquinhez. Não se ri nunca do sofrimento dos outros. Nunca. #Giornatamondialedelledisabilitainvisibili #Iosonodisabileinvisibile #Rompiamoilsilenzio CHEGA: #vamosgritar, #vamosgritar, #vamosgritar ASSINEM E REPASSEM A PETIÇÀO, PEÇA AOS AMIGOS QUE AJUDEM. #juntasnumasovoz não #vamosassinar, #vamosagir.

Obrigada Suzana Pires e Julio Fisher

terça-feira, 15 de março de 2011

Endometriose e sexo

Endometriose e sexo

www.magazineacalentar.com
Veja Sinopse
Oi meninas, hoje vou falar de um problema sério, sexo.
Muitos relacionamentos são desfeitos quando a mulher fica doente,  a maioria tem problemas no relacionamento.
Eu, sempre tive este problema, no meu casamento de 20 anos, por 13 anos foi uma luta, a ultima coisa que eu pensava era em sexo, eu pensava, poxa vida,posso aquentar tanta dor, não é possivel que ele não possa aguentar tesão, pensava eu; isto é o de menos, até que fui numa sessão de psicologia onde tinham várias portadoras, com o mesmo problema,quando a psicóloga nos disse que nós deviriamos agradecer a Deus, e que muitos maridos perdem o interesse por suas mulheres nestas condições, mas que nós deveriamos conversar, prolongar o que puder, e que agradace nossos maridos como fosse possível,dizia ela;  tem outros métodos sem se esforçar, tudo bem!
 mas com dor eu não aceitava fazer nada, ja bastava a dor que estava sentindo. Mas enrola daqui, foge dali, conversa de la, não tem jeito tinha que acabar comparecendo, que tortura, infelizmente eu ficava de 2 a 3 dias péssima depois da relação. E o pior me sentindo violentada, pensava; meu Deus não aguento mais, estou me violentando, Senhor me da forças, até que no final ja com problemas sérios além desse, não consengui mais, chegou num ponto que o joguei de cima de mim, ele caiu no chão, e eu decidi não vou me violentar mais, bastam as dores, chega meu Deus, ou tira eu, ou ele, mas não aguento mais.
Foi quando nos separamos. Ele ja tinha aprontado tambem. Pecado meu Deus mas chegava a agradecer por outra pessoa resolver isto por mim.
Separei fiquei 2 anos sózinha, casei novamente com um famaceutico, que me disse, não quero você só para sexo, e realmente, ele sempre muito compeensivo, principalmente calmo pra isto, mesmo assim continuou sendo um martirio, gosto muito, amo, quero como companheiro, mas quando chega nesta hora, me revolto. Acho que estou me violentando, é um sentimento terrível, meu Deus se fosse naquele tempo que o homem podia ter mais mulheres, como isto ia me ajudar, não posso mandar procurar outra. Mas da vontade. Isto é torturante, nóssa! sinto muita raiva neste momento, depois penso, meu Deus se eu manda-lo embora, acabar com isto, mas como perder meu amigo meu companheiro?, principalmte meu amor, meu ajudador, é minhas pernas, meus braços nos dias difceis. Ele merece que eu cuide e zele por ele. Não digo que fico rezando pra ele terminar logo, não digo o que estou sentindo, que me sinto assexuada, principalmente tomando a zoladex já a dois anos os hormonios do sexo estão inativos, não sinto desejo nenhum, antes sinto desespero em ter que fazer minha parte.É uma luta muito revoltante, imagina pra quem ainda tem dispaurenia, meu Deus, odeio esta situação, porque não achei um meio termo, enrolo bastante, agrado, converso, as vezes cuido só dele, contanto que ele não me toque, mas isto é raro, não tenho disposição pra isto. Ha meu Deus se eu pudesse contratar alguém pra fazer isto kkkkkkkk, claro que não é possível, lógico que vou ter ciúme e medo de perder, mas a gente pensa em tudo para solucionar, ta ai gente. Espero que tenha alguém que se identifique com este problema. Abraços.
Maria Helena.

Um comentário:

  1. Muitas vezes tambem sofri nas relaçoes
    não por culpa do meu marido o coitado não sabia e como faziam sempre no escuro ele não via e eu não deixava que visse as lagrimas que escorriam do meu rosto enquanto ele me penetrava
    ai um dia não aguentando mais explodi em lagrima s no banheiro depois da tortura de transa ele arrombou o banheiro para ver o que acontecia comigo ai entre lagrimas eu contei para ele tudo e ele chorou comigo
    hoije nem sempre a gente transa se diverte de outras formas e quando fazendo do jeito convecional ele é muito carinhoso e cuidadoso comigo
    e nem pensa em se ligar de mim por causa disso pois ele me disse que o amor dele é maior que tudo isso

    ResponderExcluir

Sua opinião é importante para nós. Participe.